Menu

Reprodução

Tinindo: carros novíssimos servem para dar “sensação de segurança”, diz PM

Em tempos de crise econômica aguda, a Polícia Militar do Distrital Federal recebeu, em 8 de agosto, 145 carros novinhos em folha. Custo: cerca de R$ 100 mil a unidade (ou seja, dispêndio de R$ 14,5 milhões para os cofres públicos). Seria mais um necessário caso de renovação de frota para combater o crime não fosse a real função das máquinas: ostentar, estacionados, a presença do Estado nas ruas de Brasília e entorno. Sem atender uma única ocorrência sequer, a não ser em casos de extrema necessidade.

<<Leia outras reportagens relativas à capital federal

Ou seja: nenhum dos 125 carros poderá ser acionado para ocorrências simples por meio do 190, o telefone de emergência da PMDF. São veículos obtidos para uso em uma operação de“exibição”, entre as 6h30 e as 23h. As informações constam de documento interno da corporação ao qual a TV Globo teve acesso.

Segundo a reportagem, veiculada nos telejornais da emissoras, os carros têm que ficar estacionar estacionados em locais da capital federal considerados estratégicos pela PMDF. A corporação alega que a ostentação tem o objetivo de aumentar a sensação de segurança entre os contribuintes do Distrito Federal. Com os automóveis parados, acredita a polícia, haverá redução de criminalidade em locais tidos como mais perigosos.

“As viaturas que estiverem realizando os PD’s [pontos demonstrativos] não atenderão as ocorrências via Copom [190], exceto a situações extremamente graves, as quais deverão ser justificadas no sistema Gênesis”, diz a ordem de serviço, referindo-se ao software (programa de computador) de ocorrências que serve a todas as forças de segurança do Distrito Federal.

A PMDF garante ainda que a execução de rondas e operações táticas continua normalmente, mas com a utilização de outros carros e estruturas de ação. Além do propósito primordial de exibição, o comunicado interno também faz orientações sobre a imagem da corporação. Os policiais escolhidos para operar cada um 145 dos veículos devem “se atentar à postura e compostura, primando pela boa apresentação individual e coletiva, seja quando dentro ou fora da viatura”. Segundo a estética sugerida em fotos para a exibição dos equipamentos, a sirene luminosa deve estar acionada e ao menos um policial militar deve exibir colete reflexivo do lado de fora do carro, em pé.

“Os carros novos ainda não têm contrato de manutenção mas, segundo a PM, essa licitação deve ser lançada ‘nos próximos 15 dias’. A licitação também previa 16 caminhonetes cabine dupla com tração nas quatro rodas por pouco mais de R$ 2 milhões, que não foram compradas por falta de orçamento. Outros 82 carros de modelos mais baratos também passaram por processo licitatório, mas também não chegaram a ser pagos pelo mesmo motivo. Segundo a PM, a compra considerou a relação de ‘custo x benefício, seguiu a lei de licitações e foi aprovada pelo Tribunal de Contas do DF’. Todos os carros são equipados com câmbio automático CVT de oito marchas, duas baterias, sete airbags, rotoligth com lâmpada de LED e equipamento de rádio com rastreador GPS”, diz trecho da reportagem veiculado no G1, portal das Organizações Globo.

<<Leia e veja a reportagem da TV Globo

Continuar lendo

17/08/2017 21:34
17/08/2017 20:29
17/08/2017 18:55
17/08/2017 17:37
Voltar ao topo