Menu

Fabio Pozzebom/Agência Brasília

Temendo a seca, a Adasa criou metas mensais para os reservatórios

 

Há mais de cem dias sem chuva, os reservatórios de Santa Maria e do Descoberto fecharam o mês de agosto acima do esperado nas Curvas de Acompanhamento estabelecidas pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa).  O volume útil do Descoberto no mês de agosto ficou em 28,88%, quase quatro pontos percentuais acima da meta. O Santa Maria fechou em 36,55%, mais de três pontos percentuais a mais que o previsto. Em meados de agosto, o Descoberto estava com 34,79% de seu volume útil e o Santa Maria com 40,96%.

Segundo previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet-DF), só há expectativa de chuva para a segunda quinzena de setembro. Para tentar manter a situação sob controle – e, em caso crítico, colocar em prática os planos de emergência –, a Adasa estabeleceu curvas de acompanhamento do nível dos reservatórios até dezembro de 2017, com base em dados da vazão dos afluentes e captação de água pela Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb). Os números também servem como “metas” a serem alcançadas.

A avaliação do cumprimento das metas mensais é feita com base nos níveis do reservatório, cuja alteração se dá em razão das entradas de água no reservatório; do consumo de água pela população e pelos agricultores; e da situação climática. Para setembro, a previsão para o Descoberto é de 14% e para o Santa Maria, de 26%.

Com a crescente queda nos níveis dos reservatórios, a Caesb aposta em duas obras para impedir o colapso no abastecimento nos próximos anos. Uma delas é o sistema do Lago Paranoá. A previsão é que comece a funcionar em formato de testes até o fim de setembro. A outra obra é a do Bananal, do Parque Nacional de Brasília, que tem previsão de entrega para outubro. A obra está 55% concluída.

A expectativa é que os dois sistemas, juntos, levem 1,4 mil litros de água por segundo a mais para as casas dos brasilienses. Apesar das obras e dos níveis dos reservatórios estarem conforme o cronograma da Adasa, o órgão alerta que “o período de seca no DF está apenas começando e, caso a Curva de Acompanhamento se desvie das metas, medidas mais rigorosas serão tomadas com o objetivo de reduzir a demanda”. O aumento de um para dois dias de racionamento é uma das medidas que poderá ser tomada.

Desde o dia 17 de janeiro, regiões administrativas abastecidas pelo Reservatório do Descoberto sofrem com o racionamento de água por um período de 24 horas, de seis em seis dias. Poupadas no primeiro momento, as regiões abastecidas pelo sistema Santa Maria/Torto, que englobam áreas nobres de Brasília, passaram a conviver com o racionamento no final de fevereiro. O risco, agora, é que esse racionamento aumente para 48h.

Em maio 2016, o volume do Descoberto estava em 89,2%. Em maio de 2017, o volume registrado foi de 55,7%. No caso do volume do Reservatório Santa Maria, em maio de 2016 estava com 74,7%. Já no mesmo mês deste ano, o volume registrado foi de 53,9%.

<<  Em período de racionamento no DF, prédios públicos aumentam gasto com água

<< Adasa suspende tarifa de contingência em pleno período de seca no DF

Continuar lendo

19/09/2017 08:03
19/09/2017 08:00
19/09/2017 08:00
18/09/2017 21:15
Voltar ao topo