Menu

Lula Marques/AGPT

Dedo em riste, Lindbergh discutiu aos gritos com vários senadores no Conselho de Ética

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto Souza (PMDB-MA), voltou a acolher em tempo recorde uma denúncia contra parlamentar de grupo adversário. Agora, o alvo do colegiado será o petista Lindbergh Farias (RJ), que ontem (quarta, 9) protestou aos gritos contra o início da votação sobre a admissão de outro pedido de processo, contra cinco senadoras da oposição que ocuparam a Mesa Diretora do plenário, em 11 de julho, para protestar contra a reforma trabalhista. Esse caso foi arquivado ontem, depois muita confusão provocada pela revolta de Lindbergh.

Como este site mostrou em 19 de junho, o senador João Alberto se recusou por um mês a receber representação contra o colega Aécio Neves (PSDB-MG), um dos principais investigados na Operação Lava Jato. Depois, conduziu a reunião do colegiado que arquivou, “por falta de provas”, a denúncia contra o tucano, gravado ao pedir R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, delator da Lava Jato, e protagonizar outros diálogos comprometedores com investigados.

<<Apresentada há um mês, representação contra Aécio no Conselho de Ética sequer foi recebida

Agora, depois de pedido protocolado ontem (quarta, 9) pelo senador José Medeiros (PSD-MT), também autor da denúncia contra as senadoras oposicionistas, João Alberto acolhe em menos de 24 horas “processo disciplinar em desfavor do senador Lindbergh Farias (PT-RJ)”, que é líder do PT no Senado, “por conta [sic] dos fatos ocorridos na 3 reunião de 2017 do Conselho de Ética do Senado Federal”. Aliado e conterrâneo do ex-senador José Sarney (PMDB-MA), que já teve 11 pedidos de cassação arquivados contra si no Conselho de Ética, João Alberto afirma haver indícios de quebra de decoro, justificando o prosseguimento da denúncia.

Na próxima sessão do Conselho, ainda sem data marcada, o senador maranhense promoverá reunião para o sorteio do relator. Para Lindbergh, o senador José Medeiros é um “oportunista” que “quer aparecer”.

“A denúncia contra mim é ridícula. Depois do arquivamento do caso do Aécio Neves, o Conselho de Ética do Senado Federal está desmoralizado. Eles precisam discutir o que é ética. No mais, o Senador Medeiros é apenas um oportunista sem voto querendo aparecer”, disse o petista por meio de nota.

<<Duque arquiva denúncias restantes contra Sarney; foram 11 pedidos de processo arquivados

Continuar lendo

17/08/2017 21:34
17/08/2017 20:29
17/08/2017 18:55
17/08/2017 17:37
Voltar ao topo