Menu

Agência Senado

Senadora diz que avanço das investigações separa “o joio do trigo”

O relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, acatou nesta quinta-feira (10) a manifestação da Procuradoria-Geral da República (PGR) para retirar a investigação contra a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) dos autos sobre o petrolão. De acordo com um dos delatores da Odebrecht, a senadora teria recebido R$ 200 mil sem o devido registro em sua campanha ao Senado, em 2010. O novo relator do caso de Lídice, individualmente, é o ministro Celso de Mello.

<< Seis em cada dez senadores respondem a acusações criminais no STF

Segundo o delator José Carvalho Filho, o valor foi repassado à senadora Lídice por meio do Setor de Operações Estruturadas, nome oficial do departamento de propinas da empreiteira. O Ministério Público, contudo, entendeu que as acusações não têm relação com a Lava Jato. Fachin acatou a manifestação e afastou definitivamente o caso da parlamentar baiana das investigações ligadas à operação.

A senadora afirma estar “tranquila de que tudo será esclarecido”. Lídice diz que agora começa a ser separado o joio do trigo e “repele com veemência” as acusações que lhe são feitas. A redistribuição foi determinada no dia 4 de agosto e chegou ao gabinete de Celso de Mello nesta quinta-feira (10).

<< Quem são e o que dizem os 238 deputados e senadores investigados no STF

Continuar lendo

11/12/2017 10:52
 
11/12/2017 09:35
 
11/12/2017 08:54
11/12/2017 08:00
Voltar ao topo